NotíciasSaúde

A troca de silicone após dez anos é necessária? Descubra!

Class News

Após décadas de evolução na medicina, hoje é possível ter mais segurança na hora de escolher sua prótese mamária, cirurgia que ainda é a mais buscada nos consultórios

Fenômeno dos anos 2000, o implante de silicone ainda é o mais procurado nas salas dos cirurgiões plásticos. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, dados mais recentes colhidos em 2019, são 211.287 procedimentos por ano. Mas há controvérsias no procedimento que podem gerar dúvidas. Uma das mais pertinentes é a necessidade de troca da prótese, quando e quais casos é indicada. O médico cirurgião plástico Fernando de Nápole revela que hoje a tecnologia é grande aliada nessa questão.

Quando as primeiras cirurgias para colocação de próteses mamárias foram realizadas, ainda na década de 1960, os implantes eram muito mais suscetíveis ao desgaste do que ocorre hoje em dia, depois de várias décadas de avanço nas técnicas e na fabricação do próprio silicone. Dessa forma, até o início dos anos 2000, quando houve grande procura pelo método, dizia-se que a troca deveria ser feita a cada 10 anos. Entretanto, atualmente a durabilidade de um implante varia em média de 15 a 25 anos e sua troca não mais é obrigatória, desde que não apresente problemas.

“É importante ter em mente que esses intervalos são estimativas com base no que se observa nos consultórios de cirurgia plástica hoje, e não uma regra absoluta. Afinal, cada organismo reage de uma forma diferente, podendo antecipar ou postergar a substituição”, explica o médico Fernando de Nápole. As próteses mais recentes são feitas de gel coesivo, geralmente, não necessitam ser trocadas tão cedo. Mas saiba que é preciso fazer acompanhamento por meio de ultrassonografia anualmente ou ressonância magnética a cada 2 anos.

O seu corpo muda com o tempo e isso reflete em como seu organismo reage à sua prótese de mama. Mas como saber se preciso realizar a troca da prótese de mama? “Quando existir o endurecimento da cicatriz que se forma ao redor da prótese; após a gestação, quando ocorre mudança nos seios; ruptura da prótese de silicone; endurecimento dos seios; prótese de mama visível ou palpável com dobras na superfície; e dor persistente ou desconforto na mama”, revela o médico.

Dentre todos esses sinais de possível irregularidade na sua prótese, alguns casos ficam mais evidentes. A influenciadora digital Grabriela Pugliesi é um exemplo. Em 2018 ela falou sobre o problema que enfrentava, após dores intensas nas mamas procurou um médico e descobriu uma contratura do seu silicone. O problema, aliado ao tempo que já havia feito sua cirurgia, ocasionou na substituição.

A influenciadora digital Karine Karrijo também passa por problemas com prótese mamária. Ela percebeu que o formato já não era o mesmo, que havia ocorrido o endurecimento da mama e sentia dores. Ao procurar um médico descobriu que também precisaria fazer a substituição de sua prótese. “Mesmo quando descobre-se alguma intercorrência com o silicone, é preciso que se tenha calma e tranquilidade para dar os próximos passos. No meu consultório sempre prezo pelo bem estar e satisfação das minhas pacientes”, alerta Fernando.

Por isso o acompanhamento com o cirurgião com o qual você realizou a cirurgia de implante de prótese deve ser contínuo. Consulte seu médico e faça exames para saber a situação da prótese pelo menos uma vez por ano. “Seja por estética ou saúde, reforço a importância de se ter um médico ao seu lado, já que é preciso estar segura e confiante diante de uma escolha dessa magnitude. Deixo aqui uma dica primordial, sempre escolha médicos que utilizem materiais de boa qualidade, procedência e modernos, para que evitemos tais transtornos”, finaliza o médico.

Delson Carlos

Delson Carlos, Assessor de imprensa,Profissional de Marketing , colunista social, passou pelo: Jornal A Hora, Jornal da Imprensa, Jornal Diário do Estado de Goiás . Há 10 anos, escreve a coluna social Paparazzi, do Jornal Diário de Aparecida. Editor da Revista Class. formando em Marketing e pós-graduado em Marketing digital. Estudioso das redes sociais.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo