NotíciasSaúde

5 Dicas para perder o medo de doar sangue

Class News

Professora da Estácio orienta sobre a importância da ação se tornar um hábito para a população

O sangue é essencial para tratamentos e intervenções urgentes e pode ajudar pacientes que sofrem de condições com risco de vida, além de apoiar procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. Dia 14 de junho foi instituído o Dia Mundial do Doador de Sangue, em homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner, imunologista austríaco que descobriu o fator Rh e as várias diferenças entre os tipos sanguíneos. Doar sangue é um ato de amor ao próximo, que ao fazer esse gesto, o doador pode dar esperança de vida e de saúde para quem mais precisa. Não importa quem será o beneficiado, mas sim, que outras pessoas terão novas oportunidades, novas chances de recomeçar a própria vida.

Para a mestre em medicina tropical e saúde pública e professora de biomedicina da Estácio, Daynara de Lima Paiva, não existe nada que substitua o sangue. “Isso desempenha funções vitais para nosso organismo como levar oxigênio a todo o corpo e nos defender contra infecções. Diversas pessoas todos os dias enfrentam situações onde é necessário receber sangue de doador ou algum tipo de hemoterapia para sua sobrevivência. Por isso, é importante estimular este hábito”, explica.

Os estoques dos bancos de sangue de todo o País precisam estar constantemente abastecidos para atender tanto quem estiver em situação de emergência, quanto para quem necessita de sangue com frequência e ainda para cirurgias. Mas existem algumas pessoas que ainda têm medo ou preconceito com a doação de sangue. “A desinformação é a maior geradora desse preconceito. Muitas pessoas possuem o medo de que o sangue retirado venha afetar sua saúde. E em períodos próximos de férias, como junho e julho, as doações sempre caem e são piores para os bancos de sangue”, reforça Daynara.

Pensando nisso, a professora da Estácio preparou 5 dicas para não ter mais medo de doar sangue:

  1. A quantidade de sangue retirada não afeta a saúde. O volume coletado não ultrapassa 10-15% da quantidade de sangue que o doador possui. Esse volume é reposto naturalmente pelo organismo em até 24 horas após a doação.
  2. Não há risco de contaminações durante a doação de sangue, todos os materiais utilizados para doação de sangue são descartáveis e de uso único.
  3. O procedimento para doação de sangue é simples, prático e rápido, muito parecido com uma coleta de sangue para exames médicos.
  4. O atendimento é feito por profissionais altamente capacitados que garantem a total segurança do doador.
  5. O local de coleta conta com todo suporte e material necessário para que a coleta seja feita de forma adequada, e que o doador se sinta tranquilo e a vontade durante todo o procedimento.

Delson Carlos

Delson Carlos, Assessor de imprensa,Profissional de Marketing , colunista social, passou pelo: Jornal A Hora, Jornal da Imprensa, Jornal Diário do Estado de Goiás . Há 10 anos, escreve a coluna social Paparazzi, do Jornal Diário de Aparecida. Editor da Revista Class. formando em Marketing e pós-graduado em Marketing digital. Estudioso das redes sociais.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo