Cultura,News,Política

Governo de Goiás prorroga para 10 de setembro prazo de inscrição em editais da Lei Aldir Blanc, com R$ 47 milhões exclusivos para segmento cultural

Class News

Secretaria de Estado de Cultura (Secult) intensifica ações de apoio e orientação na capital e no interior para aumentar número de futuros contemplados. Prêmios variam de R$ 5 mil a R$ 200 mil. Vinte certames devem beneficiar mais de 2.450 projetos em todo o Estado

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), informa que o prazo para inscrições nos editais da Lei Aldir Blanc foi prorrogado para a próxima sexta-feira (10/09). Os 20 certames contemplarão mais de 2.450 projetos artístico-culturais de diversas áreas da cultura, das artes e ações formativas, em todo o Estado.  

As inscrições devem ser feitas até às 23h59 do dia 10 de setembro pela plataforma Mapa Goiano (mapagoiano.cultura.go.gov.br), na qual o proponente precisa se cadastrar para, então, realizar a inscrição a partir do link https://mapagoiano.cultura.go.gov.br/oportunidade/188/.

Para o secretário de Estado de Cultura, César Moura, a leva de editais, em conjunto com as ações de orientação e apoio nas inscrições promovidas pelo governo de Goiás em diversas frentes, conduzirá os recursos da Lei Aldir Blanc para artistas e fazedores de cultura que mais precisam de apoio neste momento.

“Também estamos, de certa forma, incentivando essas pessoas a enxergarem mais valor na arte ou artesanato que fazem. Estamos garantindo autonomia a esses trabalhadores de cultura para que busquem se inscrever em outros editais no futuro, pois saberão como fazer”, pontua o secretário.

Com R$ 47 milhões exclusivos para o segmento cultural, os prêmios variam de R$ 5 mil a R$ 200 mil. Editais com valores maiores contemplarão mais agentes culturais na execução de um único projeto, como em casos de festivais, por exemplo. O objetivo dessas premiações é garantir que a verba seja distribuída a mais camadas da sociedade e atinja um maior número de beneficiários diretos, fomentando a economia como um todo.

Os editais contemplam projetos de artes visuais artesanato e arte popular, audiovisual, arte feminina, pontos de cultura, circo, trajetória cultural, cultura popular, cultura kalunga e quilombola, crianças e adolescentes, dança, fomento a bibliotecas comunitárias e museus, festivais e eventos de artes, direitos humanos, hip-hop, letras, teatro e música, gastronomia, além de propostas focadas nas tradições e no saber goiano.

Apoio aos proponentes
Na próxima quarta-feira (08/09), a partir das 14h, a Secult Goiás realizará, no Teatro Goiânia, um evento presencial para tirar dúvidas com os gestores da lei pela Pasta.

A Secult Goiás realizou 12 lives Tira Dúvidas que abrangem todos os editais, os critérios de avaliação pelo Conselho de Cultura e detalhes da errata publicada no dia 18 de agosto. As gravações podem ser conferidas pelo link https://www.youtube.com/playlist?list=PLZmGnKKxxxr4n-IhgSxkcD7UTRAo_usCV.

Também foi criado canal exclusivo de atendimento Tira Dúvidas pelos WhatsApps (62) 98237-0116 e (62) 98237-0120, pelos quais é possível agendar atendimento presencial para auxílio no processo de inscrição.

Atendimentos presenciais
Desde o lançamento dos 20 editais, em 24 de julho desde ano, equipes da Secult Goiás e da Secretaria da Retomada têm percorrido cidades do interior do Estado realizando busca ativa a possíveis proponentes, além de treinamento de trabalhadores da cultura e multiplicadores, que são agentes locais capazes de dar continuidade ao apoio no processo de inscrição a outros proponentes.

A ação itinerante já passou pelos municípios e povoados dos 300 km do Caminho de Cora, além de Piracanjuba, Morrinhos, Olhos Dágua, Alexânia, Nazário, Ipameri, Pires do Rio, Pirenópolis, Aruanã, Jaraguá, Faina, Itaberaí, Goiás, Jataí, Mineiros, Chapadão do Céu, Monte Alegre de Goiás, Anápolis, Caiapônia, Iporá e Serranópolis.

A Secult Goiás também firmou parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds), que tem recebido, em sua sede, na Praça Cívica, artistas urbanos ou em situação de vulnerabilidade para auxiliá-los a se inscreverem nos editais. Os servidores ajudam a reunir a documentação e, até, a redigir os projetos, uma vez que há casos de pessoas semi ou analfabetas que atuam artisticamente, além de artistas estrangeiros que se enquadram no edital de Direitos Humanos, por exemplo.

Delson Carlos

Delson Carlos, Assessor de imprensa,Profissional de Marketing , colunista social, passou pelo: Jornal A Hora, Jornal da Imprensa, Jornal Diário do Estado de Goiás . Há 10 anos, escreve a coluna social Paparazzi, do Jornal Diário de Aparecida. Editor da Revista Class. formando em Marketing e pós-graduado em Marketing digital. Estudioso das redes sociais.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *